sexta-feira, 17 de março de 2017

Promoção Turística da Ilha de Santa Maria: A minha opinião e vale o que vale.

Sobre aquilo que é o mau trabalho do Governo Regional dos Açores por exemplo, em matéria de divulgação turística das Ilhas de coesão, em particular no que à divulgação da informação relativa aos reencaminhamentos gratuitos diz respeito, não tenho nada a acrescentar além de que lamento profundamente que estejamos entregues, literalmente, à bicharada e que desta irresponsabilidade possa resultar por exemplo, o encerramento de mais unidades hoteleiras.
Quanto ao que deveria ser o trabalho do nosso município também por força da irresponsabilidade que atrás refiro e atendendo às recentes declarações públicas do Presidente da Câmara sobre como tem sido feita e voltará a ser, a promoção turística de Santa Maria, discordo totalmente e lamento que a estratégia passe apenas pela colocação de mupies na cidade de Ponta Delgada, a fé no site Explore Santa Maria e/ou a estampagem deste mesmo site em sacos de viagem que são utilizados pelas equipas marienses nas deslocações a quando da participação em várias competições. 
Vamos por partes. Desde o início da operação das Low Cost (LCC) que o desconhecimento de causa relativamente ao processo de reencaminhamentos gratuitos para qualquer uma das outras ilhas dos Açores que não São Miguel e Terceira é um facto comprovado. Logo, na minha modesta opinião, faria todo o sentido e mais algum divulgar os mupies também em Lisboa e Porto pelo menos pois se queremos captar mercado temos que fazer chegar a informação à origem. Isto é, em território continental e antes das pessoas comprarem as passagens porque depois, quando estiverem em Ponta Delgada e por mais atrativo que seja o mupie da Maré de Agosto, do Santa Maria Blues ou do Maia Folk, gastar mais 100 euros num bilhete PDL-SMA-PDL estará fora de questão para uma grande maioria que planeia antecipadamente as suas férias.
Mas existem outros meios de divulgação e pese embora desconheça os valores envolvidos, julgo que seria uma excelente aposta por exemplo, divulgar o destino Santa Maria bem como o processo de reencaminhamento gratuito, na rede de metro. São milhares de pessoas que utilizam este meio de transporte diariamente no Porto e em Lisboa.
Outra sobre a qual já tive oportunidade de me pronunciar seria a compra por tempo limitado de uma página nas revistas de bordo das LCC. Haveria obviamente a necessidade de equacionar custos e redefinir prioridades se necessário. 
No entanto, concordo com a não participação do município na BTL. Pelo menos para já e enquanto a questão das acessibilidades não sofrer um forte revés. Mas há que trabalhar para isso!
Ainda durante a entrevista que tive oportunidade de ouvir com atenção, o presidente Carlos Rodrigues mostrou-se bastante desagradado com o chumbo - chamemos-lhe assim - por parte do turismo relativamente a um pedido para a construção/abertura de um restaurante. Independentemente do investidor, pergunto. Outro? Os que já cá estão passam meio ano a "abrir a boca" e vão abrir mais um restaurante?
Bem, também é verdade que se eu fosse o investidor, não necessitasse de recorrer ao crédito e tivesse a firme convicção que iria ser uma aposta ganha,  com chumbo ou sem chumbo, o restaurante iria em frente MAS como sou um "teso" e até sou de acordo que os apoios devem ser precedidos de estudos de mercado, desta vez sou obrigado a concordar com o parecer do turismo. 

sábado, 11 de março de 2017

Há mais vida além dos Foguetões !



Numa altura em que os foguetões, satélites e demais crenças espaciais parecem tomar o tempo dos nossos digníssimos representantes e de uma faixa da população, um pouco por toda a Vila vão fechando vários estabelecimentos comerciais. Mas e isso traduz-se num problema? Claro que não. O importante é desmantelar na Austrália uma antena de 15 metros para rastreio de satélites, "sacar" uma grande área para a implementação do AIR CENTER (ou algo do género) mesmo que este "aterre" em zonas que até aqui eram consideradas de extrema importância para o turismo de natureza e singularidade da nossa Ilha bem como manter a malta na ignorância para tardar o alarido inconveniente que certamente nos iremos dar conta mais dia menos dia. Mas adiante.............
É com bastante preocupação que desde há uns meses se constata o encerramento de vários negócios em Vila do Porto e outros que, face às dificuldades que atravessam, para lá caminham. Foram os Melos, o Lídio de Sousa, o 55 (2 vezes), a Loja Americana, a Loja dos Queijos que abriu beneficiando dos apoios públicos que são e continuam a ser concedidos sem haver qualquer estudo de mercado, a Raposinha, o Snack Bar MC, o Docas Bar e/ou mais recentemente, o Mini Mercado Resendes. Se bem que, neste caso, há quem diga que é temporário. Esperemos que sim pois o cenário é preocupante. Muito mesmo.... !! 

segunda-feira, 6 de março de 2017

Atlânticoline: Horário das ligações Marítimas entre Vila do Porto e Ponta Delgada.

Aqui estão os horários, navios da Atlânticoline, que assegurará a ligação entre São Miguel e Santa Maria, durante o verão de 2017.
Esta tabela de viagens a realizar pode ser alterada pela Atlânticoline e / ou por condições climáticas. Primeira viagem agendada para o dia 19 de maio, última viagem a 10 de setembro.

Clicar AQUI para consultar a tabela


Recordo que, segundo notícia avançada pelo site grego ellinikiaktoploia.net, os próximos dois navios que deverão estar ao serviço da Atlânticoline, para a operação ferry sazonal, serão o “Moby Love” e o  “Kalli P”.

Os dois navios vão substituir o Express Santorini, que foi vendido, e o Paraguana que foi transferido para a Venezuela.

O Ferry convencional “Moby Love” tem 114,59 metros de comprimentos e um peso de 1.118 toneladas, tendo sido construído em 1975. Por seu turno, o Ferry “Kalli P” tem 102 metros de comprimento, 364 toneladas de peso bruto e foi construído em 1996.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

1ª Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Vila do Porto.

Ora aqui está uma boa oportunidade para alguns beberem informação relativamente ao que se passa na Ilha e até para colocarem questões mas todos nós sabemos quantos a aproveitam certo? 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Há coisas que me fazem confusão e Pronto !!



Durante o dia de ontem, ao ouvir o espaço informativo emitido pela nossa rádio fiquei um tanto ou quanto surpreso ao ouvir que um dos deputados do Partido Socialista eleito no último escrutínio para a Assembleia Legislativa dos Açores, enviou um requerimento à Câmara Municipal de Vila do Porto a solicitar esclarecimento/informação relativa à demora na requalificação da estrada de Malbusca/Fonte Jordão. Obviamente que nada o impede de o fazer. Só acho estranho que, por um lado, a informação partilhada em reuniões de câmara, Assembleia Municipal e até Conselho de Ilha, não lhe seja entregue pelos seus "camaradas" e por outro, que o Sr. Deputado (e/ou os outros dois) não tenha igual demostração de interesse em requerer informação diversa ao Governo Regional dos Açores. E assim muito rapidamente até me surgem alguns exemplos: 

- Questionar a Cultura relativamente em que estado se encontra o processo de recuperação da antiga torre de controlo. Relembro que os 100 Mil Euros que estava destinados para a sua demolição foram cedidos ao GRA pela ANA/VINCI de modo a serem utilizados na sua recuperação. Entramos no terceiro ano desde então e népias.;

- Questionar a Cultura em que termos está a reabilitação do Cinema do Aeroporto. É que a desde que foi aprovada a proposta (22 de Março de 2013), desde que foi apresentado o ante projeto em Santa Maria (4 de Maio de 2015) e desde que o GRA tornou pública a intenção de arrancar com a obra em Setembro de 2016, a única coisa que se sabe é que já entramos no primeiro trimestre de 2017;   

- Questionar a Direção Regional dos Assuntos do Mar se após o términos da construção da proteção marginal no troço a norte do porto de pesca da Maia, se irá proceder è requalificação da estrada. Isto atendendo ao estado em que está devido à circulação de maquinaria pesada;

- Questionar o Governo Regional se algum dia pretende assumir a recuperação do Forte de São João Batista na Praia Formosa ou se a intenção é só mesmo mantê-lo inacessível;

- Questionar a Secretaria Regional da Ciência e Tecnologia relativamente ao péssimo estado em que se encontra a sinalização horizontal nas estradas da sua responsabilidade;

- Questionar a Secretaria Regional da Saúde se o número de casos de cancro nos Açores, em particular na Ilha de Santa Maria não deveria merecer um estudo profundo e sério;

- Questionar a Secretaria Regional da Saúde da necessidade de reforçar o quadro médico na Unidade de Saúde de Santa Maria visto que um utente está, em média, à espera 2 meses (quando não é mais) por uma consulta com o seu médico de família; 

- Questionar a Secretária Regional do Turismo e Transportes sobre a necessidade que existe em ser criada modelo de promoção para o as ditas ilhas de coesão e do qual faz parte Santa Maria;

- E mantendo a preocupação patenteada no requerimento à autarquia local relativamente à  requalificação da estrada em questão, poderia até questionar o Governo Regional dos Açores porque não teve a mesma atitude e empenho para com Santa Maria comparativamente a outras ilhas que padeceram de situações idênticas.


Fica o desabafo .........


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

E assim vamos.......






Atendendo aos tempos que correm ou melhor, constatando o trabalho levado a cabo por algumas entidades, ninguém levará a mal que eu, ironicamente, afirme "Muito longe vão os tempos das vacas gordas". É que não faltam exemplos e hoje dou dois. O primeiro, um assunto que tem barba branca. A sinalização horizontal nas nossas estradas. 
Ainda há bem pouco tempo - e bem - fruto de uma intervenção junto à Escola Básica e Secundária de Santa Maria, foi retocada a sinalização mas a julgar pela demora na continuidade dos trabalhos na mesma via, faltou tinta, está a ser ignorada a importância da sinalização horizontal (principalmente no inverno) ou em pleno mês de Fevereiro já se anda numa de fazer render o peixe porque o orçamento não dá para grandes aventuras !!
O outro exemplo é a "moda" que parece ter pegado de estaca ou não estivesse a ganhar cada vez mais adeptos. Refiro-me aos cortes no asfalto que, pese embora devidamente justificados e necessários, deveriam voltar a ser retificados com o mesmo tipo de piso e não com CIMENTO !!     

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

As razões da abstenção voltaram a ser (meio) tema... !!

Foi através do programa "Ritmos da Informação", emitido no início deste mês de fevereiro na rádio do Clube Asas do Atlântico que o tema abstenção, em particular o número registado das últimas eleições, voltou a merecer destaque.
Ao contrário das opções para a composição do painel que agora se sabe, irá estar em antena uma vez a cada mês (Pluralismo?), a escolha do tema não me surpreendeu pois foi, é e continuará a ser preocupante a não participação dos cidadãos nos atos eleitorais. 
Durante o referido programa, o fenómeno foi alvo de análise mas julgo que as razões apontadas pecam não só por escassas como amigas da ocasião. Ou além das que foram enumeradas não faltassem outras como a falta de confiança e seriedade que a classe politica transmite findo cada período de campanha eleitoral. A proximidade que é defendida tão intransigentemente mas que depois ESFUMAÇA-SE, a obrigação sentida em não deixar ninguém sem um cumprimento  e que depressa passa a INDIFERENÇA, a necessidade de se acudir aos solícitos de quem REALMENTE precisa facilmente se traduz numa INDISPONIBILIDADE (quase) CRÓNICA ou ainda a forma como se continua a prebendar amizades e interesses. Umas vezes com mais, outras com menos arte é verdade mas sempre de forma legal registe-se.
E não se pense que este meu desabafo está revestido com a eloquência costumeira pois não tenho por hábito confundir a arte de bem falar com afirmações sérias.
Esperemos que um dia, o povo perceba a força que tem e comece a pô-los a andar num pé só. Utopia? Talvez......  

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Fórum "O Associativismo Mariense" realiza-se a 4 de Março.

A Junta de Freguesia de São Pedro, na ilha de Santa Maria e um grupo de pessoas da sociedade civil, cientes da elevada importância das Associações na ilha de Santa Maria quer seja no âmbito desportivo, social, cultural e economia local, irá organizar um fórum sobre o tema “O Associativismo Mariense”, no dia 04 de março do corrente ano, na Biblioteca Municipal de Vila do Porto.

Será um espaço privilegiado para analisar e debater várias temáticas que envolvem o movimento associativo.

Estarão presentes vários oradores convidados e posteriormente haverá um debate entre os intervenientes.

Eventuais contatos:
forumsmass@gmail.com  
Sede da organização Junta de Freguesia de São Pedro- 296 884 493


Website:

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Forte de S. João Batista: E porque não reclamar o imóvel?

Uma vez que o "imbróglio" do Forte de São João Batista tarda em ficar resolvido, não seria totalmente descabido reclamar a posse do imóvel. Julgo que haverá "alguém" por ai capaz de o fazer ou pelo menos tentar........     

domingo, 29 de janeiro de 2017

Zona do Aeroporto: Imagens que falam por si..


Há um mês atrás, era impossível ver bermas ou habitações por entre a densa vegetação. Isso deste lado porque do oposto, como diz o meu velhote, "só falta o capim para se parecer com os tempos do ultramar onde não se via um palmo à frente do nariz enquanto de avançava pelo mato". 
É lamentável de cada um não limpe e mantenha asseado o que é seu !! 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Política e Coerência: Incompatíveis?

Por estes dias as hostes políticas nacionais andam em sobressalto. Tudo porque a descida da TSU (Taxa Social Única) para as empresas está na iminência de ser chumbada com os votos contra de todos os partidos da oposição inclusive o PSD. Este que, até há bem pouco tempo atrás - ou seja, quando era governo - era defensor acérrimo desta medida. 
O Partido Social Democrata é portanto acusado - e muitíssimo bem na minha opinião -  de falta de coerência e de estar focado apenas na conveniência política que será ver chumbada uma proposta do executivo socialista. 
Esta é uma atitude que a mim particularmente não me surpreende pois, contrariamente ao que se possa pensar e salvo algumas excepções, por cá padecemos do mesmo. Os objectivos prioritários só o são quando não chocam diretamente com a conveniência política ou até com o próprio umbigo. Mas estes já são outros trezentos e caberá à consciência de cada um definir o seu próprio peso. A minha, graças a Deus, está de perfeita saúde !! 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Intervenção junto à EBS de Vila do Porto (quase) perfeita.



Exceção feita ao fato de se continuar a privilegiar a utilização da entrada secundária como principal, mantendo este estacionamento destinado a motociclos, a recente intervenção junto à Escola Básica e Secundária de Santa Maria foi bem conseguida e faz todo o sentido. Isto no seguimento da intervenção anterior. 
A elevação da passadeira, além de ter uma dupla função, também acaba por ir ao encontro do que vem sendo feito desde há uns anos a esta parte um pouco por todo o país. Perdão. Em quase todo o país pois na nossa Vila, a opção foi rebaixar os passeios............ !!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Por estes dias no lugar da Maia.......





Com um prazo de execução inicial (sublinho inicial) de 150 dias, continuam a decorrer os trabalhos relativos à construção de uma proteção marginal com 33 metros de largura no troço a norte do porto de pesca da Maia. 
Uma obra que só pecou por tardia tantas foram as chamadas de atenção quer da população quer de várias forças políticas e entidades. 
Agora, à Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional dos Assuntos do Mar caberá não só, garantir que esta obra fique concluída sem necessidade de recorrer a retificações ou segundas intervenções (infelizmente é recorrente) assim como assegurar que as vias de circulação estejam em condições, principalmente, antes da época alta. 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Por estes dias na zona do Aeroporto.......







Por estes dias tenho "parado" mais pela zona habitacional do Aeroporto e é fácil perceber porquê.
Para quem cresceu por estes lados como eu, o regozijo em ver colocar mãos à obra por forma a devolver alguma da beleza que por aqui já existiu, é enorme. O trabalho da Junta de Freguesia de Vila do Porto ao nível da limpeza dos verdes (Matas, Bermas, Valados etc) aliada a uma intervenção (agora + regular) da empresa Ilhas de Valor SA tem permitido a que toda esta zona comece a ganhar nova vida. Neste sentido, o papel da autarquia não pode nem deve ser esquecido pois em matéria de saneamento básico tem havido e, por via do mau estado da rede, ainda haverá muito trabalho a ser feito. 
É um trabalho conjunto que, do meu ponto de vista, está a ter resultados práticos mas que deverá ter a colaboração de TODOS os moradores. Infelizmente este ainda é um aspeto a melhorar pois, a "teta" daqueles idos tempos secou faz tempo. Há é quem tenha a esperança da mesma voltar a verter umas pinguinhas.....!!
Quanto à ANA SA, empresa que tinha a tutela de toda esta zona residencial (e não só), continua com a mesma postura relativamente ao asseio e limpeza do pouco que ainda lhe cabe. É notar o matagal que vai desde a rotunda do aeroporto até às imediações da EDA, Piscina e Pavilhão do Clube Ana de Santa Maria. 

domingo, 25 de dezembro de 2016

Pai Natal Mariense 2016: Afinal não se esqueceu de nós....

PAI NATAL 2016



- Carlos Rodrigues – Guardar as luzes de natal para pôr nas covas do Aeroporto…
- Roberto Furtado – Presidente da Junta da Vigia da Areia!
- Ezequiel Araújo – Uma bicicleta BMX, com luz, para andar na ciclovia do Aeroporto!
- Duarte Moreira – Um tapete preso ao chão com pregos, para não fugir…
- Joana Pombo – Chefe do protocolo de estado, pela sua neutralidade…
- Bárbara Chaves – Um martelo de orelhas e um “malhete”…
- Paulo Parece – Bradar!
- João Vasco – Fazer uma emissão “muito à frente” da mesa da assembleia…
- Rui Arruda – Convidar o Professor Marcelo para comer uma feijoada e perguntar “está boa”?...
- Dulce Resendes – Propor à Capitania que estacione os barcos no parque da Pousada…
- José de Melo – Um voucher com duas noites e pensão completa no Hotel Quinta da Patada!
- Ricardo Sebastião – Uma “toga” para levar na procissão…
- Marco Coelho – Apresentador TV no “Travel Channel”.
- Elda Batista – Elogio por ser sempre a mesma boa pessoa…
- Lubélia Chaves – Emprego na ERA como mediadora Imobiliária…
- José Branco – Um debate na CMTV com a Mariana Mortágua!!!
- Rui Esteves – Diretor do Cinema do Aeroporto…
- Jorge Costa – Um “pin” da ilha de São Jorge para colocar na barreta!
- Ana Moura – Tirar uma “selfie” com o Aníbal Pires!
- Fernando Andrade – Aprender catalão…
- Hélder Pimentel – Comer uma alcatra com o Gilberto, o 400 e o Airoza no Garrouchada…
- Daniel Gonçalves – Ouvir a música “não sou o único” com os muitos outros que por aí andam…
- Elisa Sousa – Prémio 2016 “a maior surpresa do ano”… (em 2015 ganhou a “geringonça”)!
- Pepe Brix – Um aplauso! E mais um!
- João Braga (filho) – Como já esteve lá, juntar todas as tropas e reconstruir o Castelo da Praia…
- Cristina Almada – Tentar impedir que o Aeroporto se transforme em bairro social…
- Rita Câmara – Um cabaz de natal pó “bébé”!
- Graça Morais – Lembrar ao Serginho que os Açores não são só a Terceira…
- Pedro Pacheco – Promover em Santa Maria uma coligação PSD/PS…
- Domingos Barbosa – Ler atenta e previamente o “Código Deontológico do Jornalista”…
- Jorge Gonçalves – Tirar um curso de cozinheiro, ajudante de cozinha, barista e logística…
- Paulo Duarte – Avançar para uma rufada na Banda 15 Agosto…
- Paulo Magalhães – Contratar um fiscal de obras…
- Eduardo Cambraia – Comprar o camião do André Oliveira para carregar terra…
- André Moura – Explicar porque foi o único que não cedeu as mesas da sua freguesia para a festa do emigrante…
- Aldeberto Chaves – Tapar as pedras da Igreja de Santo Espírito com cimento…
- Paulo Sanona – Realizar uma conferência no Asas com o Paulo Portas e a Maria Luís…
- João Fontes – Escrever num painel rosa “arranjem alguém aí na vila”…
- Zé Humberto Chaves – Padrinho da marcha da câmara municipal no São João 2017…
- João Braga (pai) – Reler os Baluartes para ver que faltaram cores na paleta…
- Valério Pacheco – Pôr o Gonçalo Velho no Top, sem lirismos!...
- Ana Loura – Perceber que a sua liberdade termina onde começa a dos outros…
- Emanuel Soares – Passar o bar do terminal a reserva marinha…
- Armando Soares – Exigir segurança permanente na nossa Marina, ela merece!
- João Melo – Uma bicicleta…
- Paulo Sousa – Um helicóptero com heliporto…aeroporto também serve!
- José de Sousa – Ver os foguetões a serem lançados de Malbusca da torre velha…
- Ana Paula Braga – Um “part-time” no novo jornal que irá nascer na ilha…
- Luciana Magalhães – Oferecer um cabaz de natal ao Óscar…
- Tó Pacheco – Há novo equipamento, pôr Santa Maria em direto na RTP ilhas grandes…
- Sandra Reis – Outra oportunidade…
- Lucélia Lopes – Uma hora do bom-dia-açores patrocinada pela “barreta-verde”…
- Marco Chavinhas – Guardião das copeiras da Vila e quem sabe…Malbusca…
- João Santos – Fiscal na Rua Frei Gonçalo Velho, lado esquerdo…
- Jorge Santos – Não inaugurar a praça sem explicar aqueles riscos no chão…
- Francisco Sardinha – Um bidão com gasóleo e dois jerricans de gasolina com mistura…
- Janine Sousa – Jogar um jogo de Crapô à melhor de três com o Duarte!
- Isabel Mendes – Anotar as infrações do jogo de Crapô…
- José Carlinhos – Dar parabéns aos rapazes que organizaram a festa dos pescadores…
- Hélvio Braga – Refletir que dentro da “música do mundo” existe boa, mais ou menos e má…
- Miguel Sequeira – Trocar o piano do Asas por uma mesa para DJ`s no OLX!
- Manuel Medeiros – Colocar madeiras na casa do Zé Maria, na esplanada do bar e à volta da junta…
- António Monteiro (Bragueta) – Deixar de falar na Maré…Xu!
- Rui Parece – Dar uma grande volta no Clube Naval e guardar segredos!
- Beta Gonçalves – Pôr a AJISM a se mexer mais…
- Toni Monteiro – Colocar de novo as cancelas em Santana e no Açucareiro…

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Clube Motard de Santa Maria em mais uma ação de cariz social.



Como ato solidário em 2016, a direção do Clube Motard de Santa Maria e como forma de concluir o seu mandato, realizou no passada Quarta feira, dia 26 de Outubro algo que de forma simbólica  concluiu um ano repleto de atividades em prol do mototurismo regional e como sempre também "trabalhar em prol da comunidade", entregou a quatro instituições marienses 10 cadeiras de Rodas, que serviram para uso diário das atividades destas mesmas instituições: Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto, Recolhimento de Santa Maria Madalena, Unidade de Saúde de Santa Maria e Associação de Bombeiros Voluntários de Santa Maria. Decerto serão, mais uma mais valia para estas instituições.
Info/Fotos: Clube Motard SMA

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Baía de São Lourenço: Uma obra de milhões mas que não é para todos.

Baía de São Lourenço
25.09.2016


Esta é a única opção para quem tem necessidades especiais de mobilidade. 

Ir embora porque uma Obra de quase 6 Milhões de Euros não contempla acesso para todos. Uma obra concluída em 2012 e que inexplicavelmente mantém bandeira azul. . . . .

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Toponímia São Pedro....... Devagar, Devagarinho.... Praticamente parado!

 
 
Num passeio de fim-de-semana e que esperava não contemplar momentos de má disposição e azia, notei que pela freguesia de São Pedro, a junta local tarda em engatar outra velocidade que não a primeira no que à implementação da Toponímia diz respeito.
Em Vila do Porto, o trabalho está concluído e no passado mês de Junho (sim JUNHO), em sede de comissão municipal, ficou fechado o processo relativo a São Pedro ficando a junta local encarregue de reordenar alguma da sinalização que fora colocada erradamente assim como colocar as estruturas novas e respetivas placas indicativas de caminhos e lugares. Infelizmente, passados que estão 4 meses, a realidade é esta!  

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Zona do Aeroporto: O ressurgimento de um problema.



A falta de civismo na zona do Aeroporto sempre existiu no entanto a sua prática registava, até há bem pouco tempo atrás, uma baixa percentagem comparativamente com os anos 90 e 2000. Cenários como os que as fotos documentam não se registavam há muito e julgo que é urgente apurar de imediato as causas para que estes casos voltem a proliferar nesta zona em particular e na Ilha em geral. 

Estão as pessoas informadas o quanto baste relativamente ao que é aceitável pelo novo centro de resíduos? 

Que destino dar ao que não for aceite pelo centro de resíduos?   

O que podem (efetivamente) fazer as entidades competentes em matéria de fiscalização para punir os infratores?